segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

ZERO DE GORDURA TRANS



Muita atenção! Nem sempre o que está escrito no rótulo é real. A legislação brasileira autoriza que a gordura trans só seja escrita no rótulo de um produto alimentício quando sua quantidade ultrapasse 0,2 g por porção do alimento. Então 0g de gordura trans, pode significar bastante coisa quando se ingere um pacote inteiro de bolacha recheada, ao invés da porção de 3 bolachas. Este assunto está bem explicado pela Prof. Arlete Escrivão numa entrevista dada ao SBP Noticias, jornal da Sociedade Brasileira de Pediatria.

A Dra. Arlete é Pediatra e Nutróloga, professora da UNIFESP - Escola Paulista de Medicina e responsável pelo ambulatório de obesidade do departamento de Nutrologia. Foi com ela que fiz minha especialização.



A gordura trans foi criada por uma modificação na molécula dos óleos vegetais líquidos através da incorporação de íons de Hidrogênio na posição trans, transformando a estrutura dessas gorduras. Elas se tornaram mais sólidas, estáveis e de maior durabilidade. Características ótimas para a industria alimentícias, que iniciou a sua aplicação em torno dos anos cinqüenta na produção das margarinas, e aos poucos, foi sendo usada em muitos alimentos industrializados como sorvetes, batatas fritas, salgadinhos de pacote, bolos, biscoitos, principalmente os recheados, margarinas e etc. Ainda está presente em muitos deles.



Com o decorrer do tempo, foi verificado que eram muito prejudiciais à saúde, tão ou mais que as gorduras saturadas de origem animal. Elas aumentam o LDL colesterol (dito colesterol ruim), baixam o HDL(colesterol bom), aumentam os triglicérides, provocando um risco maior para as doenças cardio-vasculares. Hoje recomenda-se que seu consumo não ultrapasse a 1% da necessidade calórica diária. Segundo a Organização Mundial de Saúde o consumo não deve ultrapassar a 2 gramas ao dia para adultos.

Para entender melhor, leia a entrevista completa da Dra. Arlete nesta página.
Se você quiser saber um pouco mais sobre a gordura trans, leia este texto retirado de uma publicação da Organização Pan-Americana de Saúde de 2008. Se quiser o texto na íntegra, me envie um email que tenho em PDF.

2 comentários:

jana disse...

oi Ana! amei tudo por aqui! e ainda aprendi a somar os zeros da gordura trans... não fazia idéia de mais esse jeitinho brasileiro em esconder os valores! ainda não passeei por todo o blogg, mas vou curtindo com calma! beijinhos (Jana, amiga da Mari)

Ana Teresa Londres disse...

Oi Janaína,
Obrigada pelos elogios. Aos poucos vou postando mais coisas.
Gostei muito de conhecer tua mãe e teu sobrinho.
bjs
Ana