sexta-feira, 25 de maio de 2012

PAPINHAS PARA BEBÊ

Uma revista para mães divugou no Youtube um vídeo, em que uma chef de cozinha prepara uma papa para bebes totalmente equivocada, da maneira como era feita há 30 anos. Uma sucessão de erros:

1 - a carne era refogada no óleo
2 - a quantidade de carne era enorme
3 - a carne era retirada da papa e não oferecida para a criança
4 - os legumes eram cozidos com uma quantidade enorme de água
5 - os legumes foram passados na peneira
6 - o sal foi acrescentado na papa

Ela não fez uma papa, e sim, uma sopa muito líquida, com baixa densidade calórica, pouca fibra, pouco ferro e zinco, sem as proteínas essenciais, com muito sódio (sal), e sem as gorduras necessárias.

A transição do aleitamento materno para as papinhas deve der feita a apartir dos seis meses de vida do bebê. Inicia-sa com a fruta e uns 15 dias após, com a papa de legumes e carne. Esta papa já foi chamada de sopa e de papa salgada. Na verdade não é nem sopa, pois esta é mais líquida, nem salgada. O sal só deve ser acrescentado na alimentação após um ano de vida, e, com muita moderação.
Antigamente, a carne era refogada no óleo, e retirada. Hoje, sabe-se que o óleo poliinsaturado (canola,soja, milho) é essencial para o desenvolvimento neurológico, mas deve ser cru, acrescentado na papa quando pronta. O óleo que foi aquecido a altas temperaturas, fica saturado e perde suas propriedades.
A carne, por sua vez, é muito importante por suas proteínas, ferro e zinco. A quantidade necessária é pequena, e nunca deve ser retirada da papa.
A papa também não deve ser batida no liquidificador, nem passada na peneira. Amassando com o garfo, além de manter as fibras, a criança está sendo preparada para a mastigação e os alimentos mais sólidos. Inicialmente tudo tem que ser bem cozido e bem amassado. Com o passar do tempo, a criança começa a aceitar pedacinhos um pouquinho maiores, mesmo que ainda não tenha dentes.

Duas matérias da revista Pais&Filhos tratam deste assunto. Vale a pena dar uma olhada.

http://revistapaisefilhos.com.br/sendo-pais/culpa,nao/a-transicao-do-leite-materno-para-as-papinhas

http://revistapaisefilhos.com.br/sendo-pais/culpa,nao/da-papinha-para-a-comida-de-gente-grande


- Posted using BlogPress from my iPad

Location:Shin Ql 13 Conjunto 5,Brasília,Brasil

5 comentários:

Paula Pinha disse...

Oi tia Teresa! Minha filha está com sete meses e começou a comer papinhas a partir dos seis. Fico sempre na dúvida se estou dando uma porção de proteína (carne se vaca ou frango) adequada em cada refeição. Qual seria a quantidade adequada?

Ana Teresa Londres disse...

Oi Paulinha,
A quantidade de carne ou frango é pequena. 35 g por refeição. Se for peixe, 50 gramas. Me mande seu email que vou te enviar um manual de receitas.
Beijos

Unknown disse...

Adorei seu blog!!! As receitas de sopas parecem deliciosas!!! E agora no inverno, adoro tomar sopa! Vou tentar fazer qd tiver tempo... Pois com bebê fica difícil...

Unknown disse...

Estava procurando dicas para festa infantil, mas não encontrei aqui no seu blog. Você já escreveu sobre isso por aqui?

Ana Teresa Londres disse...

Nunca escrevi sobre festas infantis!. Uma boa dica para uma postagem.