segunda-feira, 2 de março de 2009

CONFRARIA DE FEVEREIRO




Mês de fevereiro já passou e ainda não falei da última reunião da confraria. Foi um jantar ‘en petit comité’, pois éramos apenas 7 pessoas, na minha casa. A Fernanda foi a responsável da vez, e nos regalamos com uma entrada fria de cavaquinha poché com 2 molhos, um chutney de tomate, delicioso e uma maionese feita em casa. Receita inspirada numa entrada do restaurante Balthazar de Nova York.



Como prato principal, tivemos um medalhão de mignon com molho béarnaise e batatas crocantes. Receita do Anthony Bourdain, do restaurante Les Halles, também de Nova York. O molho béarnaise é quase uma maionese quente, feita com manteiga clarificada. Primeiramente a cebola é bem picada e cozinha em fogo baixo, mergulhada em vinho branco, até quase secar. Em banho-maria, acrescenta-se gema de ovo e lentamente a manteiga clarificada, mexendo sem parar. Como tempero, usa-se além do sal e pimenta, o estragão fresco. Uma erva muito usada na França. As batatas foram cortadas com casca e fritas em 2 tempos, o que as deixa mais sequinhas e crocantes.

A sobremesa foi uma Tatin de banana, receita do inglês Gordon Ramsay, servido com sorvete de canela de minha autoria.



Quando se fala em ‘Tatin’, se remete a ‘Tarte Tatin’, famosa torta de maçãs feita com as frutas em baixo e a massa por cima. No momento de servir, vira-se, ficando a massa por baixo. Deve ser servida quente. Foi inventada pelas irmãs Tatin, donas de um restaurante no interior da França no século XIX. Diz a lenda, que no momento de preparem uma torta de maçã, uma das irmãs estava muito distraída e esqueceu-se da massa. Quando retirou do forno e percebeu o erro, a outra irmã rapidamente colocou a massa por cima, retornando a torta ao forno. Os clientes adoraram e esta nova torta que nunca mais saiu do cardápio e ficou famosa em todo o mundo.




Vinhos servidos: Nimbus Estate, um chileno da uva Sauvignon blanc 2008; Crios, Suzana Balbo, Torrontes, também branco. Posteriormente um tinto australiano, Cabernet Sauvignon, Bleasdale 2005. Para sobremesa, o excelente Sauterne Doisy Daëne, 2002.



Mais detalhes do jantar, fotos e as receitas estão publicadas no blog da Confraria.

5 comentários:

Anônimo disse...

Teca,
Eu e o Caixe estamos babando atá agora.

Voc~e já deu a receita da manteiga clarificada?

Bjs
Amelia

Jussara Voss disse...

Oi Ana!
Ótimo cardápio!
Onde vocês encontraram a cavaquinha?
Abraço,
Jussara

JOSE disse...

Acabo de ver um cidadão comendo um hamburguer do Bob's que era igualzinho ao seu Xatobriã.



Brincadeirinha...

:-))))
:-)))))

fernanda garcia disse...

Olá Jussara,
Compramos a cavaquinha no Kelvin, ou melhor Peixaria São José do mercado Municipal.
Abraço,

Jussara Voss disse...

Obrigada Fernanda!
Um abraço,
Jussara