terça-feira, 17 de agosto de 2010

BOEUF BOURGUIGNON

Num fim de semana gelado, nada melhor do que se aquecer no calor do forno e do fogão. Foi o que fiz neste domingo. Preparei para o almoço um Boeuf Bourguignon. Prato típico francês, rústico, ideal para os dias frios. Originário da Borgonha, hoje é preparado em toda a França, principalmente pelas donas de casa e nos restaurantes mais simples. A carne de boi, do gado Charolais, o vinho Pinot Noir, os acompanhamentos deste prato, o champignon, o bacon (lardon) e a cebola, estão presentes nos pratos da Borgonha. É um "plât de résistance" como dizem os franceses, um prato principal forte, e é servido aos domingos ou em festas familiares. Na terceira edição, 1912, do Guide Culinaire de Auguste Escoffier, a receita está lá, mas o prato é preparado com uma peça inteira de carne. Existem várias versões desta receita. A que preparei, aprendi na França e leva carne de segunda (eu usei músculo; lá eles usam carne de peito) picada em cubos, cebolas, bacon, champignon e vinho tinto, preferencialmente da Borgonha. Aqui usamos um Pinot Noir argentino ou chileno. É um prato de cozimento lento, até que a carne fique macia, desfiando. No dia seguinte, fica ainda melhor. Mesmo sendo um pouco trabalhoso, vale a pena tentar. Fica delicioso!

Primeiro piquei a carne e os temperos da marinada, e deixei tudo coberto com vinho por uma noite.
No dia seguinte, separarei a carne, os legumes da marinada e o vinho.

Sequei bem a carne com papel toalha e salteei com óleo e manteiga na frigideira quente.

Fervi o vinho da marinada, retirando toda a espuma que se forma na superfície. Isto é muito importante para que o molho fique bonito.


Depois de saltear a carne, acrescentei um pouco de farinha de trigo, polpa de tomate, os legumes também salteados, e cobri com o vinho fervido e coado, mais vinho tinto e um pouco de caldo escuro. Dexei ferver um pouco antes de levar ao forno. A panela deve ser grande e de fundo grosso.

Enquanto a minha carne estava cozinhando, preparei as guarnições:

Fervi o bacon, coei e levei à frigideira sem gordura para dourar.

Salteei os champignons no azeite de oliva

Preparei as cebolas em uma panela não muito grande, com um pouco de manteiga e cobri com água. Deixei cozinhando em fogo baixo com a panela coberta com papel manteiga. Diretamente encostado na superfície das cebolas.

Depois de quase duas horas e meia de cozimento, retirei a panela do forno, recuperei toda a carne e coei o molho sobre ela. Acrescentei o bacon, as cebolas e os champignon. Corrigi o sal e pimenta. Meu Boeuf Bourguignon estava pronto para ser servido.

A seguir, a receita completa

7 comentários:

Zé Rodrigo disse...

Oi Teca.
O que significa prato de resistência?
É um prato que resiste dentro do nosso estomago? É um prato que resiste na travessa?
:-)
Qual é o sentido desta expresão?
Bjs.

PS: Estive com o Tereso outro dia. Ele está lindo?

Zé Rodrigo disse...

Ele está lindo!!!!
(claro)

Mesa de Ana Teresa disse...

Oi Zé, prato de resistência, ou "plât de résistance" como dizem os franceses, é um prato principal que alimenta bem, com "sustância". Na verdade traduzi ao pé da letra.

Confirmo os elogios ao meu neto. Pena que não pude comparecer ao almoço do Eduardo.
bjs

Ana Teresa Londres disse...

Oi Zé, já mudei o texto e acho que ficou melhor, mais claro.
bjs

fernanda garcia disse...

Divino!!! Maravilhoso!!!
Tereso? Essa eu não sabia...
Bjs
Fernanda Garcia

Mesa de Ana Teresa disse...

Oi Fernanda,
foi ter voces aqui.
bjs

Allmemories disse...

Essa tua irmã , ainda no jardim de infância da culinária, fica navegando por suas receitas procurando o "Be a Ba" das cozinha.
Me deparei com esta e me lembrei que vovó Amelia denominava o "plât de résistence de "verbo".
bjs