domingo, 15 de novembro de 2009

OS SABORES DO MANI

Um restaurante autêntico que dá vontade de voltar. Estive duas vezes no Mani, um almoço de sábado com meus filhos e jantei com minhas amigas. Tem um ambiente muito agradável, informal, o que nos deixa bem à vontade. Todos são cordiais. À direita, logo na entrada, está a cozinha, visível através de vidros, e lá vimos a chef Helena Rizzo com seu lenço na cabeça, comandando tudo.

Helena é gaúcha e teve sua formação na Itália e Espanha, onde morou por três anos. Estagiou no restaurante El Celler de Can Roca, considerado um dos melhores do mundo. Nesta época foi convidada pelo chef Roan Roca para integrar a equipe do MOO, no hotel OMM, em Barcelona, onde ficou um ano. Aqui no Brasil trabalhou com Luciano Boseggia no Fasano e Emannuel Bassoleil no extinto Roanne. Helena e o espanhol Daniel Redondo partilham a chefia do Mani. Ele também trabalhou algum tempo com Joan Roca.

O cardápio é recheado de pratos vegetarianos, raízes, mas inclui peixes, cordeiro, rabada, pato e mignon. Os chefs utilizam produtos brasileiros com técnicas modernas (cozimento a baixa temperatura, uso do termomix, espumas, etc...), e conseguem nos surpreender. É uma mistura de sabores, texturas e aromas. Tudo tem um algo a mais. É impossível um simples cozinheiro ou chef doméstico reproduzir o que eles fazem.

No dia seguinte ao jantar assisti à palestra de Helena no Congresso Internacional de Gastronomia - Mesa Tendências. Ela falou sobre lembranças de sabores da infância, como, por exemplo, o sabor de uma torta de maçã. Ensinou a preparar um rosbife que se inspirou na carne que comia na casa da avó. O rosbife é envolto por uma crosta feita com uma mistura de carvão vegetal e chá preto lapsang, adquirindo aromas de churrasco. A carne vem sobre uma salada morna de batatas. Helena contou que a mãe preparava salada de batatas nos dias do churrasco, e, como estava sempre atrasada, servia a salada morna, que ela, menina, adorava. Provei o prato no jantar e realmente o saber é indescritível.

Prato infantil: escalope de mignon com massa


Alguns dos outros pratos:

Ravióli de mangas com queijo de cabra

Dados de atum marinado com morangos e shissô

Peixe do dia (robalo) à baixa temperatura com uma espuma de tucupi, sobre bananas de migalhas do Mani

Rabada com purê de grão de bico, com frutas secas e vinho do porto

Atum levemente grelhado com quinoa, chutney de amoras, espuma de gengibre e shissô

Rosbife com crosta de carvão e lapsang com salada morna de batatas e ovo ralado
Paleta de cordeiro a baixa temperatura com raízes.

Canudo de canela com espuma de banana e sorvete de maracujá
Suflê de nutella com sorvete de gengibre


Serviço:
Rua Joaquim Antunes 210 – Jardim Paulistano – SP
Tel: 11 3085-4148

3 comentários:

fernanda garcia disse...

Ana,
Estamos de volta!!
Salada de batata morna tbém lembra minha infância pelos mesmos motivos, só que quem fazia era minha avó.
Tenho muita vontade de conhecer o Maní.
Abs,
Fernanda

Ana Teresa Londres disse...

Oi Fernanda,
Bem vindos e como foram de viagem?
bjs

Ana Teresa Londres disse...

Aqui transcrevo alguns comentários que recebi por email:

Rodrigo:
Na proxima vez que for a SP vou fazer um teste drive no Mani.
Bjs

Carmen Lucia:
Como o Felipe está grande e fôfo!! e quantos pratos deliciosos e diferentes!

Marina:
Água na boca! e eu que me amarro em rabada, começaria por ela! bjs.